Como ajudar o seu filho a ler

A nível académico, a aprendizagem da leitura surge como um marco fundamental no percurso da criança. Esta aprendizagem contribui para o processo de autonomia da criança, ajuda-a a obter melhores resultados académicos, e a possuir uma auto-estima mais elevada.

Os pais, bem como outros adultos de referência, possuêm um papel fundamental nessa aprendizagem, desde os primeiros meses de vida. De seguida, ficam algumas ideias simples, que podem estimular a criança para esta descoberta fundamental:

- Ler, com frequência, para o seu filho. Esta é uma actividade que pode ser realizada desde os primeiros tempos de vida duma criança. Apesar de, no princípio, a criança não compreender, o objectivo é que ela fique familiarizada com o som da sua voz, e se acostume a ver e a tocar em livros;

- Conte histórias, incentivando a criança a realizar perguntas e a falar da história que acabou de ouvir. Procure associá-la a acontecimentos do dia a dia do seu filho;

- É importante que os livros apresentados à criança adequem-se à sua maturidade. Nos primeiros anos de vida, livros ilustrados com figuras apelativas e pouco texto são os mais recomendados.

- Tenha sempre disponíveis, e de fácil acesso, materiais de pintura e de escrita;

- Recomenda-se a aquisição dum dicionário infantil, de preferência daqueles que possuêm imagens ao lado das palavras. Procure desenvolver o hábito de pesquisa, como o de, ao brincar com a criança, provocá-la dizendo frases tais como: "Vamos descobrir o que isto significa?";

- Visite com frequência bibliotecas e livrarias;

- Por último, mas de extrema importância, dê o exemplo. As crianças desejam e procuram identificar-se e imitar os seus pais. Leia, leiam juntos. Desse modo, estão juntos a explorar e a relacionar-se com o livro e a leitura.

2 comentários:

Sónia Sarmento (Educadora de Infância) disse...

Oi! uma coisa, em relação à leitura dos mais novos, de que falas no blogue.
Não podia concordar mais contigo no facto de o mais essencial é o exemplo dos pais. Porém também é preciso ser exigente quanto aos livros que se oferecem às crianças. A oferta é muita e há realmente livros muito coloridas com imagens bonitas mas passo a contar-te o que me aconteceu.

No sábado, durante o jantar de aniversário de um amigo meu, a mãe dele vem muito preocupada ter comigo, pedindo-me que ajudasse a filha a ler melhor porque ia ter teste na 2ª feira e não lia bem. A Joana tem 6 anos e entrou este ano para a escola.

Veio ter comigo para a ajudar a procurar o Wally.

E depois muito entusiasmada quis mostrar-me os seus livros, com que pratica a leitura... não são livros escolares, são uns livritos pequenos, com imagens mas com letras em quase nada semelhantes às letras que se aprendem na escola... aquelas letrinhas de primária muito bem desenhadas que ao longo da vida vamos deturpando para facilitar e abreviar a escrita.

Claro que a Joana percebia muito bem o texto e não tinha qualquer problema de leitura ela apenas tinha de hesitar umas quantas vezes porque não sabia que letras eram aquelas...

Depois falei disso à mãe e ela ficou muito aliviada. Pensei na ansiedade que já tinha e que, infelizmente já estava a transmitir à Joana fazendo-a pensar que ela não lia bem. Claro que ela não tinha noção disso e sente-se na Joana a segurança de uma criança que está entusiasmada com a aprendizagem. No entanto, quando ouvimos dizer muitas vezes que não somos capazes de fazer uma coisa, a determinada altura, começamos a acreditar nisso.

Posso dizer-te que o olhar da Joana no final da noite, muito para além da hora de dormir, era mais alegre e confiante e menos cansado do que no início do jantar.

Desculpa o testamento mas queria partilhar contigo esta experiência. Tens a capacidade de chegar a pais e ajudá-los a ajudar os seus filhos a crescer e perceber que, às vezes, dificuldades e limitações passam por coisas tão simples

Mauricio disse...

Caramba eu tenho que sair mas tá difícil...Um artigo melhor que o outro...
Leitura obrigatória para todos os pais...